13/08/2018 / Notícia

EVI, BOOM e T.I.C.K

A Ensinger valoriza uma cultura de aperfeiçoamento, inclusivamente ao nível internacional. Esta ambição é enquadrada num processo de aperfeiçoamento contínuo (KVP) e está firmemente ancorada no modelo da empresa. Os colaboradores desempenham um papel central nesta missão, pois ninguém melhor do eles sabe onde residem os problemas. Todos podem e devem apresentar as suas ideias e, desta forma, organizar e melhorar de forma ativa o seu local de trabalho.
Ilustração: esfera de vidro na mão com inscrição EVI Excellence

São três os pilares que garantem este aperfeiçoamento contínuo

O KVP estruturado já está solidamente estabelecido na Ensinger há nove anos. Com o passar dos anos, ele foi continuamente desenvolvido e ajustado. O nome do programa - Ensinger Verbesserungsinstrument (EVI) - significa “instrumento de aperfeiçoamento Ensinger” e baseia-se em três pilares:

1. EVI operacional com aperfeiçoamentos mais pequenos (KAIZEN) através de métodos e medidas simples que os colaboradores podem aplicar de imediato e que ajudam a tornar cada dia um pouco melhor (EVI to Go). Quando a complexidade aumenta, as equipas são apoiadas por workshops EVI moderados. Para o efeito, existem moderadores com formação específica. Temas abrangentes e de longa duração são abordados com a ajuda de projetos de aperfeiçoamento. Neste caso, aplica-se o Método Lean Six Sigma. Para encontrar a solução, a equipa KVP interna aconselha os respetivos setores e coordena as devidas medidas.

2. A formação inicial e contínua é a base da cultura de aperfeiçoamento. Todos os colaboradores receberão a devida formação ao longo dos próximos anos, por forma a conhecer e implementar os métodos EVI. Para a formação contínua existem formações para especialistas, tal como a moderação ou a formação “Lean Six Sigma Green Belt”.

3. Uma verificação da eficácia permite medir as melhorias e, desta forma, demonstrar a cada um os benefícios e o sucesso de uma medida. Neste caso, as melhorias não são medidas apenas em valores monetários mas também com base num sistema de pontos. Afinal, não é possível expressar muitas dessas melhorias em euros.

Diagrama: os métodos e as medidas do EVI operacional
Ilustração da formação de moderadores BOOM na Ensinger Inc., EUANo encontro do EVI e BOOM em Washington, Pensilvânia, os moderadores tiveram a oportunidade de alargar a sua perspetiva sobre as técnicas Lean e os “8 tipos de desperdício”. Foi com grande motivação que realizaram de imediato também um workshop Lean 5S na produção.
Ilustração com engrenagens interligadas: Kaizen, Lean Six Sigma e KVP+EVI

 A cooperação dos colaboradores em foco

Na nossa filial dos EUA, a Ensinger Inc., está em curso desde 2012 um instrumento KVP semelhante sob o nome BOOM. Aí, reza o lema de aperfeiçoamento “Believe, Our Opinions Matter”.

Na sede da filial britânica Ensinger Ltd., foi introduzido há pouco tempo o programa T.I.C.K., igualmente baseado no EVI. T.I.C.K. significa “Team Interaction Creates Kaizen” (A Interação em Equipa Cria Melhorias) e visa também identificar e implementar melhorias através do envolvimento e da colaboração de cada um dos colaboradores.

As filiais internacionais orientam os seus métodos em função dos requisitos e possibilidades locais, mas todos os conceitos KVP da Ensinger têm algo em comum: eles apostam na iniciativa dos colaboradores e no espírito de equipa.

A visão EVI:

“Vivemos uma cultura de aperfeiçoamento contínuo através do workshop especializado EVI, no qual todos os colaboradores criam valores. Numa organização em aprendizagem, evitamos o desperdício de forma sustentável.”